Gabriel Serpa
Por 18/12/2017

Seminário debate implantação da Redesim no estado do Pará

Pela primeira vez um evento voltado a Redesim foi aberto ao público em geral

O primeiro Seminário Estadual da Redesim foi realizado na noite da ultima quarta-feira, 13, no Hangar, em Belém/PA. O evento foi promovido pela Junta Comercial do Pará (Jucepa) e teve como objetivo celebrar os dez anos da criação da Redesim e debater sobre os avanços da sua implantação no estado.

“A integração dos órgãos de registro e a legalização de empresas nos estados brasileiros agora precisa avançar para uma padronização em nível nacional”. Foi o que defendeu o coordenador geral da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim), Carlos Nacif, da Receita Federal. Nacif afirmou ainda que essa padronização é fundamental para melhorar a imagem do país diante dos investidores estrangeiros.

O Pará assumiu em novembro a liderança do ranking da Redesim, com a integração dos 144 municípios paraenses, além os serviços de registros, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/PA); e de legalização, como é o caso do Corpo de Bombeiros, Secretaria de Meio Ambiente e Delegacia de Polícia Administrativa (DPA). Com a integração desses órgãos à Redesim torna-se mais ágil o andamento dos processos de abertura, alteração e baixa de empresas, fazendo com que o empreendedor, consiga realizar todo o processo sem precisar se deslocar para diversos locais.

O Seminário Estadual da Redesim serviu ainda para difundir a Rede, tanto entre os profissionais que fazem o uso do sistema como os contadores e advogados, quanto empresários, empreendedores e sociedade de modo geral. Além da Jucepa e da Receita Federal, participaram do evento, a Secretaria de Estado da Fazenda, o Sebrae, a Central RTDPJBrasil e outras entidades ligadas aos cartórios de registro de pessoas jurídicas.

Fonte: Central RTDPJBrasil

Marcadores:

Deixe seu comentário

Atenção: Os comentários abaixo são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores e não representam, necessariamente, a opinião da Central RTDPJBrasil.